Total de visualizações de página

domingo, 5 de março de 2017

Samovar

Fotografia de Valery Knyazkin

Esse objeto chama-se Samovar. O primeiro desses foi feito em 1778 pelos irmãos russos Lisitsyn em Tula, uma cidade conhecida pelos seus metalúrgicos e fabricantes de armas. O processo de fabricação do Samovar consistia de 12 estágios com mestres individuais, especializando-se em cada etapa da produção.

Curiosamente, a população da vila inteira poderia ser especializada na fabricação de um único elemento, tais como as alças do Samovar. A montagem final e o aparamento de Samovar era em fábricas. Esse objeto era vendido por peso, quanto mais pesado mais valor tinha e ao longo do tempo foram acrescentados novas idéias e artes a esse objeto, transformando-os em verdadeiras jóias cobiçadas em todo o mundo. É muito usado hoje em decoração de festas para servir chás, cafés ou mesmo para enfeitar.

Café com Samovar

Samovar é um utensílio culinário de origem russa utilizado para aquecer água e servir chá, sendo muito apreciado pelos czares. Este utensílio aparece com frequência na literatura russa do século XIX.

Nos dias atuais é muito utilizado pelos hotéis e empresas de catering, e para todo o tipo de eventos com bebidas quentes, tais como coffee breaks, buffets de café da manhã, cocktails etc. Pode substituir a garrafa térmica, com café, chá, chocolate, leite e todo o tipo de bebidas quentes. Apresentam-se mais ou menos estilizados, mas podem ser fabricados em prata, latão, com ou sem ornamentos, sendo os de uso profissional de linhas mais simples, temos alguns modelos destes aqui na Lomafe Festas.

Veja as imagens para inspiração:






Os russos inventaram um sistema de preparo do chá diferente dos dias atuais, fazendo o uso de um concentrado da infusão que era diluído em água quente. Para tal cerimônia, eles possuíam utensílios próprios que conheceremos a seguir.

Utensílios russos para chá. Fotos: Wikipedia

O samovar (foto cima) virou o símbolo da tradição do chá no país simbolizando seu acolhimento e servindo-lhe de identidade,constantemente mencionado nas literaturas nacionais, como vimos acima. Era comum as pessoas se reunirem em volta de um samovar para tomarem chá e passarem seus momentos em comum (este ato de passar o tempo bebendo chá recebeu até uma definição, chainichat).

Este utensílio possivelmente inventado pelos russos (sua origem é incerta), baseado em uma panela tibetana, era basicamente um repositório de água quente boa o bastante para 40 xícaras de chá! Feito de metal, o samovar possui uma torneira em sua parte mais baixa e por seu interior passa um cano que propaga calor contínuo, abastecido de algum combustível, podendo ser carvão, madeira, etc. (posteriormente, nos tempos modernos, também criaram a versão elétrica do samovar). Após a água do repositório ser aquecida, podemos colocar a chaleira (chainik) no lugar da tampa do aquecedor, fazendo com que esta também se mantenha quente.

Os russo utilizavam copos de vidro para tomarem seu chá e foi criado o podstakannik ("segurador do copo de chá" - foto acima), que são os artefatos de metais onde encaixamos os copos para proteger a mão contra o calor da bebida. Nos dias atuais, xícaras e outras cerâmicas são mais comuns e utilizadas diariamente - a tradição russa para as cerâmicas do chá é a combinação de branco com azul cobalto e dourado. Tanto o podstakannik como o samovar foram transformados em obras de arte além da sua utilidade. Tula, cidade ao sul de Moscou, é a principal fabricante de samovares desde 1700.

O chá preterido pelos russos sempre foi o preto e o modo de preparo do chá para a sua cerimônia se diferencia pois na chaleira é feito uma infusão super concentrada das folhas, chamada de zavarka. A ideia aqui é servir nas xícaras um pouco deste concentrado e completar com a água quente que está no samovar. Ao contrário do costumeiro, eles deixavam as folhas dentro do bule o dia todo, escolhendo um tipo de chá que não ficasse tão amargo ao passar do dia (geralmente alguma variedade chinesa). E esse era o costume na época, deixar o samovar ligado por um bom tempo, podendo se obter uma xícara de chá bem quente a qualquer momento.

Também poderia haver uma segunda chaleira com alguma infusão herbal como hortelã, para ser misturada ao chá preto, conforme o gosto (inclusive, antes da chegada do chá, os russos bebiam uma infusão de ervas chamada sbiten). Outros aditivos utilizados no chá eram limão em rodelas, açúcar, mel ou geleia (em tempos de guerra o açúcar ficara extremamente raro e adotou-se o uso de geleias) e até rum! Tanto o açúcar (em cubos) como os melados eram colocados diretamente na boca e dava-se um gole no chá.

A mesa era completada com tortas, panquecas, bagels, biscoitos, frutas frescas e frutas secas, etc. e assim seguia a cerimônia russa para o chá, que poderia acontecer a qualquer momento do dia - o buffet russo era chamado de zakuska, onde todos os pratos a serem servidos eram colocados na mesa de uma vez.


FONTE

https://www.facebook.com/SimplesEChic/photos/a.336091949811016.81932.336082313145313/1256688497751352/?type=3&theater

http://lomafe.com.br/cafe-com-samovares/

Nenhum comentário:

Postar um comentário