Total de visualizações de página

sábado, 29 de outubro de 2016

Q-Graders ganham espaço nas fazendas de Café


Avaliadores e degustadores ganham espaço nas fazendas de café. Com formação ditada em parâmetros internacionais, os Q-Graders ganham espaço nas fazendas de grãos especiais, com salários que podem chegar a R$ 30 mil Os profissionais podem valorizar em até 50% a bebida (foto: Leandro Couri /EM/D.A. Press )

Diante de um cenário cada vez mais concorrido e ao mesmo tempo promissor para os produtores de cafés especiais, as fazendas abrem espaço para um profissional capaz de promover o aumento de até 50% do valor agregado dos grãos. Trata-se do classificador e degustador de café com conhecimento e metodologia para avaliar o produto segundo critérios internacionais, o chamado Q- Grader (na sigla em inglês, q de qualidade).

Desde 2012, eles têm sido mais requisitados. Com salários que podem variar de R$ 3 mil a R$ 30 mil, esses “garimpeiros de tesouros” são certificados e se antes atuavam nas empresas e nas cooperativas, agora, com a expansão dos grãos diferenciados, tornam essenciais no campo.


O Q-Grader é, numa definição simplificada, um provador de café qualificado, que recebeu treinamento do instituto de qualidade de café Coffee Quality Institute (CQI na sigla em inglês) da Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA). A prática da profissão vai muito além disso.

“Só para receber o certificado, a pessoa precisa passar por 26 provas, que abordam degustação de café verde e torrado, habilidades sensoriais, capacidade de identificar o ácido, o doce e o salgado. Há, também. prova escrita, degustações de cafés de seis regiões do mundo, como os da África, Indonésia, Brasil, América do Sul, ente outros”, explica Mário Reis, dono Café dos Reis e um Q-Grader desde 2013.


Reis conta que, há três anos, quando resolveu se tornar um Q-Grader, trabalhava no Sebrae e já tinha experiência em degustação de cafés. “Então, entrei nesse mercado e, além da profissão, tenho a minha empresa de torrefação, a Café dos Reis”, diz. Ele ressalta que as mulheres, por ter um olfato e paladar mais apurados, podem se dar bem nesse mercado. “É preciso muita prática”, avisa. Atualmente, no país, há poucos Q-Graders, o que garante espaço ainda a ser conquistado pela profissão.

Warley Carlos de Oliveira é um desses profissionais raros. Há 14 anos trabalhando com café, ele se tornou Q-Grader em 2013. “Trabalho na parte de classificação da bebida, dentro de cooperativas, mas fui acompanhando o crescimento dos grãos especiais e resolvi ter essa certificação internacional”, afirma. Ele comenta que se trata de profissão apaixonante, mas que requer experiência. Warley começou a atuar nas fazendas, onde esse profissional está sendo muito demandado.


BONS FRUTOS “Os produtores estão entendendo a necessidade de contratar um Q-Grader, porque muitas vezes o produtor vendia sacas de café sem saber que ali havia grãos especiais de alto valor”, diz. É o que reforça Tiago Alves, dono do Café Barinas, de Araxá, no Alto Paranaíba. Ele contratou Warley com a finalidade de melhorar a qualidade do café que produz.

Com a atuação do Q-Grader, a classificação do Barinas alcançou 87 pontos, uma nota alta no ramo cafeeiro. “É um trabalho de longo prazo e, principalmente, de consciência entre os outros trabalhadores da fazenda. O Warley nos acompanha em toda a produção e, com isso, as nossas vendas cresceram cerca de 20%”, revela.

Jorge Fernando Naimeg, produtor em Patos de Minas, também no Alto Paranaíba, contratou um Q-Grader para a sua produção. Com a novidade, registrou aumento de 50% das vendas. “É um garimpeiro, que seleciona o ouro nos cafés. Conseguimos aumentar o nosso valor agregado. É fundamental esse trabalhador”. Milton Ferreira, o Q-Grader que trabalha para Naimeg, diz que a profissão é prazerosa, mas só a experiência traz bons frutos. “Fiz muitos cursos para conseguir o certificado, um deles na Universidade Federal de Lavras (Ufla)”, conta.

Na semana passada, durante a Feira Internacional do Café, realizada em Belo Horizonte, o trabalho do profissional de degustação e classificação foi destaque nos debates. Houve muitas degustações de cafés com a participação desses profissionais. O evento abordou novidades e tendências de negócios do universo cafeeiro durante três dias no centro de convenções Expominas. Estiveram reunidos no local cerca de 15 mil visitantes e 165 marcas expositoras.


Enquanto isso...
...Capixabas no topo

O produtor Afonso Donizete Lacerda, de Dores do Rio Preto, no Espírito Santo, é o vencedor do concurso Coffee of The Year 2016, na variedade arábica, realizado durante a quarta edição da Semana Internacional do Café (SIC), em Belo Horizonte. O público presente ao evento participou de degustações às cegas e ajudou a eleger o melhor café do Brasil. “Sempre acreditei na qualidade do café que produzo. Estou muito feliz”, disse o cafeicultor. Na variedade conilon, o primeiro lugar também com outro capixaba, José Carlos de Azevedo, de Nova Venecia. O concurso reuniu amostras nacionais de café, enviadas por produtores de todo o país e provadas por classificadores nacionais e internacionais, por meio de uma parceria com o Instituto Federal Sul de Minas Gerais (IFSul de Minas) – câmpus Machado.

FONTE

http://www.em.com.br/app/noticia/agropecuario/2016/09/26/interna_agropecuario,807672/avaliadores-e-degustadores-ganham-espaco-nas-fazendas-de-cafe.shtml

sábado, 22 de outubro de 2016

King of the Fork



Nosso espaço é inspirado na cultura do ciclismo, no comer e beber bem. Para encontrar pessoas, comprar acessórios e saborear quitutes acompanhados de um bom café.KOF é sigla para ‘King of the Fork’, referência ao conhecido KOM ‘King of the mountain’, prêmio dado ao ciclista que teve o melhor desempenho em uma subida. O garfo [fork] é o ponto em comum entre a bicicleta e comida.



Café e bike. Este é o princípio do KOF - King of The Fork. O ambiente descolado recebe os clientes para um delicioso café da manhã, sem preocupação ou correria. É lugar para quem quer curtir, aproveitar e não se preocupar. Deixe de fora o conturbado dia a dia e ganhe alguns minutos lendo o jornal e aproveitando o menu do KOF. Entre bikes e xícaras, certamente você sairá de lá mais leve.


O café é pequenino, com poucas mesas. É tão intimista que estimula a conversa com a mesa ao lado. E o público é dos mais interessantes! Ótimo para bater papo e trocar ideia entre waffles com nutella, pães na chapa e geleias de frutas vermelhas. 


R. Artur de Azevedo, 1317, São Paulo - SP - CEP: 05404-013 
Telefone: +55 11 2533-9391 

Ciclistas sentem-se em casa no local, que vende itens como selim e luvas e tem um suporte para guardar bicicletas logo na entrada. A mesona coletiva da área externa e o pequeno salão são igualmente agradáveis para quem busca um café de qualidade, preparado com cuidado. Pergunte ao barista quais os grãos disponíveis do dia e o método de extração adequado a eles. O espresso duplo e o café coado no Hario (R$ 7,00 cada um) ou Aeropress (R$ 8,00) ficam ainda melhor na companhia de uma fatia de bolo do dia (R$ 7,00). Torça para ser o bolo de cenoura, fofinho e com cobertura de chocolate na medida.


Preços checados em setembro/outubro de 2016.



fonte

http://www.kingofthefork.com.br/

http://vejasp.abril.com.br/estabelecimento/kof-king-of-the-fork/

sábado, 8 de outubro de 2016

Café Toledo Ltda




O Café Toledo Ltda nasceu da ideia de oferecer um produto diferenciado e especial, por entender que os consumidores mereçam apreciar uma bebida feita com os bons frutos que o Brasil produz.

No final de 1999, enquanto as pessoas sequer falavam em Cafés Gourmet, Especial ou Premium, a empresa Café Toledo Ltda lançou o “Blend Gourmet”, produzido com grãos 100% arábica, equilibrando corpo e acidez, aroma atraente e sabor inigualável, agradando aos mais exigentes paladares.


A Café Toledo Ltda é o resultado da paixão que o Professor José Luiz Barbosa de Toledo (in memoriam) sempre demonstrou pelo Café.

Classificador e provador de café, desde 1962, no decorrer de sua vida profissional adquiriu experiência, conhecimento e talento para elaborar a marca Toledo.


Trata-se de uma empresa familiar que trouxe na lembrança o gosto, valores e a dedicação de um trabalho competente com café.

Os produtos mantêm o padrão de alta qualidade, resultado do conhecimento transmitido pelo Professor Toledo aos seus filhos, dando continuidade a essa história iniciada há mais de 40 anos e que a cada dia vem conquistando novos e criteriosos apreciadores desta bebida especial.



O Café Toledo é elaborado com grãos selecionados de diversas fazendas e preparos, utilizando somente matéria-prima, 100% da espécie arábica especial e tipo exportação.Há um controle de qualidade em todas as etapas para manter o padrão, ressaltando a importância da torra adequada para preservar as substâncias nutritivas presentes no café. Segundo informações da ABIC e pesquisadores do projeto Café e Saúde, o café contém muitas substâncias saudáveis para o organismo. O Grão cru do café possui potássio, ferro, zinco, magnésio e diversos outros minerais, embora em pequenas quantidades.


O grão de café também possui aminoácidos, proteínas, lipídeos, além de açúcares e polissacarídeos. E, em maior quantidade que a cafeína, a bebida possui os polifenóis antioxidantes chamados ácidos clorogênicos. Durante a torra, esses ácidos formam novos compostos bioativos, os quinídeos. É nessa etapa também que as proteínas, aminoácidos, lipídeos, açúcares formam os quase mil compostos voláteis responsáveis pelo aroma característico do café.O café possui mais voláteis que as flores, os perfumes e o vinho, um aroma forte e agradável que reconhecemos de longe. 



O “Blend” Toledo, é composto por grãos 100% da espécie arábica, resultando num sabor equilibrado entre corpo e acidez, bebida achocolatada, aroma atraente, completando um “bouquet” agradável por toda a boca. A empresa esclarece aos consumidores deste produto que trata-se de um café isento de impurezas.



Contamos com a equipe especializada para elaborar o legítimo Gourmet.

HISTÓRICO

A marca Toledo nasceu da união do conhecimento com a experiência e dedicação à delicada arte de classificar , degustar e manter blends, sendo pioneira no Brasil na categoria gourmet desde 1999.






O professor, classificador e provador de café, Sr. José Luiz Barbosa de Toledo, trabalhou por 47 anos no mercado cafeeiro e deixou este legado para seus filhos que vem dando continuidade a essa história de dedicação.

Trabalhando com café, ocupou o cargo de Inspetor do Ministério da Fazenda em São Paulo, além de ter organizado o setor de classificação e degustação na Bolsa Mercantil de Futuros – BMF. Participou da comissão julgadora internacional de concurso de Qualidade de Café Especiais e Café do Brasil. Ministrou cursos de treinamento e tecnologia de classificação e degustação de café em Moscou (Rússia), Curaçao e Malásia.



Seu filho, Luciano Toledo (In Memoriam), também classificador e provador de café, participou de “Concursos de Qualidade de Café” em diversas regiões do Brasil. Foi instrutor de cursos sobre noções práticas de classificação e degustação de café e ministrou treinamentos de qualidade sobre o produto. O mesmo profissionalismo e competência na elaboração de Cafés Gourmet são mantidos pelas filhas do Professor Toledo, sempre preocupadas com o aperfeiçoamento técnico pessoal e dedicadas na elaboração e manutenção do padrão de qualidade do Café Toledo.

Uma delas possui o título de ”Q-GRADER”, reconhecido mundialmente como especialista em Qualidade de Café.





Receitas

aqui



FONTE

http://www.cafetoledo.com.br/quem-somos/

sábado, 1 de outubro de 2016

Café Dona Carolina



O Café Dona Carolina é feito através de um processo de colheita de apenas uma vez ao ano, o que garante excelente qualidade ao produto.

O café passa por secagem de 15 a 30 dias no terreiro, remoção da casca para, em seguida, torrefação e moagem. Após degustações que atestam a qualidade, o Café Dona Carolina é embalado à vácuo para manter as características marcantes de sabor e aroma.
Agora só falta você provar um delicioso e típico café da fazenda.





Um lugar que respira história A Fazenda Dona Carolina foi uma das pioneiras do movimento abolicionista no Brasil. Datada de 1872, sua sede traz a influência da colonização portuguesa em suas linhas arquitetônicas. Relatos apontam que essa data corresponde a uma reforma, na realidade, a construção da casa foi efetivamente realizada entre 30 e 40 anos antes, segundo especialistas.


A sede foi inteiramente restaurada mantendo todo o esplendor da época das grandes fazendas de café.


Conjunto arquitetônico
A tulha, prédio onde o café era beneficiado e armazenado faz parte do conjunto arquitetônico colonial e hoje abriga o Centro de Convenções. Já a casa do administrador transformou-se em um dos três restaurantes do Hotel.


Outro prédio que dá muito charme ao local é a igrejinha de Nossa Senhora da Conceição, datada de 1898 e também restaurada para receber casamentos. No começo do século passado foi edificado o Salão das Cavalariças onde ficavam os cavalos. Hoje este salão abriga um belo restaurante com vista para o lago.


É nesse legítimo conjunto colonial brasileiro, um lugar histórico, que você e sua família vão ficar hospedados. Uma experiência única, momentos que também vão entrar para a história.



Acomodações
Os 94 apartamentos e suítes de alto padrão, com vista para montanhas ou bosque, mantém o estilo de época, com características originais do traçado arquitetônico colonial dos antigos casebres da Fazenda. Todos os apartamentos possuem Amenities L’occitane, enxoval de algodão 300 fios da Trussardi, TV de LCD 32’ com TV a cabo, cama king size, ar-condicionado, frigobar. Opção conjugado e acessíveis. Todos os banheiros em mármore refratado Travertino com banheira.


Bar e Restaurante

Café da ManhãSeu dia vai começar de uma maneira deliciosa. Um tradicional e completo café da fazenda servido no belo Café do Bosque.


Almoço & Jantar
O delicioso tempero da comida da fazenda aliado ao melhor da gastronomia em um cardápio cuidadoso com serviço de buffet. Essa fusão de sabores vai levar você a uma experiência gastronômica especial em um dos nossos três restaurantes.


Restaurantes Seo Oscar e Cavalariça
Onde são servidos almoço e jantar em um buffet completo e variado com saladas, pratos quentes, massas e sobremesas. Aos finais de semana e feriados, os restaurantes podem ser separados para adultos e crianças.


Restaurante Quiosque
Um lugar para refeições mais informais, com forno a lenha e churrasqueira. Pode ser utilizado nos finais de semana ou feriados, de acordo com a programação do hotel.

Nesse espaço também podem ser feitos eventos privados, como confraternizações, almoços ou jantares temáticos.


Bar do Piano
Um piano de cauda, um balcão de madeira secular e uma varanda com vista para a montanha. Uma combinação irresistível de um dos espaços mais charmosos do hotel onde são servidos drinks e coquetéis especiais, além de uma completa carta de vinhos. Às sextas você vai apreciar nossa tradicional seresta.


Bar da Piscina
Um lugar para momentos de relaxamento total. Você pode tomar deliciosos drinks e coquetéis à beira da piscina climatizada, acompanhado de música ao vivo. Se o sol estiver muito forte, uma mangueira centenária proporciona uma refrescante sombra natural.

Lazer
São tantas opções de lazer que você e sua família vão ter muitas histórias para contar.


Lazer Hotel
piscinas
quadras
campo
SPA Dona Carolina
sala de jogos
brinquedoteca
trilhas ecológicas

Lazer Fazenda
cavalgadas
passeio de charrete
passeio de tratort
our histórico
tour do café
tour da cachaça
pesca esportiva
ordenha na leiteria
visita na horta
pic nic no campo

Lazer Aventura
tirolesa
arvorismo
caiaque
slackline
arco e flecha
parede de escalada
Programação sujeita a alteração

Curiosidade

Você conhece a origem do termo “feito nascoxas”?
Era assim que as telhas eram produzidas nessa época, os antigos escravos libertados pela fazenda, ficavam ajoelhados na mina de barro e iam moldando as telhas em suas coxas, deixando-as de tamanhos diferentes, de acordo com a espessura de suas coxas.

FONTE

http://www.hotelfazendadonacarolina.com.br/

Dia Internacional do Café



No mundo todo, em várias datas durante o ano, muitos países celebram seus próprios dias nacionais do café. Em março de 2014, os Estados Membros da OIC decidiram organizar o primeiro Dia Internacional do Café, a ser realizado em 1º de outubro de 2015, com o intuito de criar um único dia em que os que amam o café poderão celebrá-lo em todo o mundo. O primeiro Dia Internacional do Café coincide com a 115ª sessão do Conselho Internacional do Café e o primeiro Fórum Global do Café, que acontecerão durante a Expo Milão 2015. Um comunicado de imprensa completo sobre esses eventos deve ser distribuído brevemente. Associações do setor cafeeiro tanto dos países produtores quanto dos países consumidores concordaram em unir-se à OIC para promover e celebrar o Dia Internacional do Café. Para lista completa das associações participantes visite a página http://ico.org/international-coffee-day.asp.

Sobre a OIC: a Organização Internacional do Café (OIC) é um organismo intergovernamental criado sob os auspícios das Nações Unidas para servir à comunidade cafeeira internacional. Estabelecida em 1963, a OIC é sui generis por reunir países produtores e consumidores para trocarem pontos de vista sobre questões relativas ao café e as condições do mercado cafeeiro e tratarem de política cafeeira. Entre os serviços prestados pela OIC estão os seguintes: informações e estatísticas atualizadas; projetos inovadores com o objetivo de beneficiar a economia cafeeira mundial; relatórios sobre o mercado cafeeiro e estudos econômicos; consultas sobre o financiamento do setor cafeeiro; e conferências e seminários.

Vamos Comemorar

https://internationalcoffeeday.org/pt/


Em 1 de outubro de 2016, 77 Estados-Membros da Organização Internacional do Café (OIC) e dezenas de associações de café de todo o mundo se reuniram para celebrar o segundo Dia Anual Internacional do Café.


Você sabia que muitas cafeterias oferecem descontos no preço das xícaras de café hoje? Isso, pois todo dia 14 de abril a bebida é celebrada no mundo inteiro. Criado para promover a indústria cafeeira, o Dia Internacional do Café também foi inventado para homenagear produtores de diferentes países.

Enquanto esta data não era oficializada, muitos países saíram na frente e criaram seus próprios Dias Nacionais do Café. Aqui no Brasil, por exemplo, ele é celebrado no dia 24 de maio. Já em outros países, isso pode mudar. Quer saber em quais dias eles são celebrados? Confira abaixo.


Dias Nacionais do Café no mundo:
Brasil – 24 de maio
Indonésia – 17 de agosto
Costa Rica – 12 de setembro
Irlanda – 19 de setembro
Alemanha – 24 de setembro
Suíça – 26 de setembro
Estados Unidos, Canadá, Malásia, Etiópia e Inglaterra – 29 de setembro
Japão – 1 de outubro
Filipinas – 21 de outubro
Taiwan – 7 de novembro
Nepal – 17 de novembro

**China celebra o Dia Internacional do Café no começo de abril. A data exata depende do calendário lunar chinês e o do Ano Novo chinês.


FONTE

http://www.cncafe.com.br/site/interna.php?id=11056

http://www.mexidodeideias.com.br/viagem/dia-internacional-do-cafe/

A arte do espresso



O próprio nome já diz: um espresso é preparado para ser consumido na hora. É preparado aplicando-se um jato de água quente na pressão durante 25 a 30 segundos (9 ou mais atmosferas) através de uma camada prensada de 7 gramas de café moído. O resultado é um café concentrado com cerca de 30 ml de puro prazer degustativo.

Para os peritos, o espresso é a quintessência do café: a preparação que exalta a riqueza de notas aromáticas, unindo-as às sensações aveludadas do creme. Um espresso perfeito é um pequeno milagre da química e da física, o produto da união entre ciência e arte.

A arte do espresso
O ritual da preparação do espresso começa pela moagem do grão, que deve ser feita na hora de servir. A arte do barista, ou do perito, consiste em calibrar a moagem, prensar adequadamente o pó de café no filtro, extrair a bebida em temperatura ideal, na pressão e no tempo exatos.

FONTE

http://www.illy.com/wps/wcm/connect/pt/coffee/espresso