Total de visualizações de página

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Identificando um café bem preparado



Para identificar um café bem tirado, quatro dicas são fundamentais:

1) Um bom café espresso é concentrado
  • 7 gramas de pó para até 50 ml de água
2) A moagem aconselhada é a média.
  • Se o creme não se formou é porque a moagem está grossa, o tempo de extração foi curto ( ou qualidade do café e do equipamento não são bons); e o café não foi bem tirado (ficará muito fraco).
  • Se ela for muito grossa, a água passa mais rápido pelo filtro e a bebida fica fraca, sem a formação do creme.
  • Se for muito fina, a água demora mais a sair, deixando a bebida amarga e manchas brancas no creme. Além disso o pó deve ser comprimido adequadamente;
3) O creme não pode se desfazer com facilidade;

4) O creme deve deixar uma marca na lateral da xícara.


De aroma e sabor intensos com um bom corpo e persistência no paladar, coberto por um denso creme cor de avelã (marrom claro/um leve toque tigrado), em toda superfície da xícara, cuja espessura deve estar entre 3mm a 4mm. 



domingo, 19 de fevereiro de 2017

Eu Adoro o Pingado


Hugh Jackman chega a São Paulo e se anima com um “pingado”

O intérprete de Wolverine, chegou a São Paulo para promover o filme Logan, que tem estreia marcada para os cinemas no dia 2 de março. O ator australiano Hugh Jackman, o intérprete de Wolverine, desembarcou em São Paulo neste domingo para promover o filme Logan, que tem estreia marcada para os cinemas no dia 2 de março. Esbanjando simpatia, ele postou um vídeo no Instagram tomando um “pingado”, um clássico café com leite, em uma caneca esmaltada.


"Estou feliz de estar em São Paulo tomando meu primeiro pingado". 


Movimento: Eu Adoro o Pingado

O movimento EU ADORO PINGADO tem como missão resgatar e valorizar o PINGADO, uma das mais brasileiras bebidas de café. Além de preservar um patrimônio cultural, servirá para expandir a base de consumidores, estimulando a molecada a consumir café em sua forma mais divertida: o PINGADO.

Sendo um movimento de livre adesão, onde todos são voluntários e estão dispondo de sua criatividade, inspiração e transpiração para que fortaleça o vínculo de todos com o café, os materiais disponíveis são de uso liberado, podendo ter as mais diversas aplicações, como banners, flyers, cartazes ou mesmo camisetas
.
Cafeterias e padarias de norte a sul do Brasil já estão fazendo parte. Dessa forma, o café, a cafeicultura e todos os envolvidos na imensa cadeia do café ficarão muito gratos!


EU ADORO PINGADO
MOVIMENTO DE VALORIZAÇÃO DO PINGADO

O Pingado é uma instituição tipicamente brasileira, bebida campeã de vendas e consumo matinal nas melhores padarias país afora. Em sua receita clássica, é preparado com um autêntico cafezinho feito em coador de pano e adicionado de um pouco de leite, como se fossem apenas alguns pingos...

Hoje o mercado está vivendo o pleno florescimento das cafeterias, que trazem consigo uma nova cultura de consumo do café e de suas bebidas derivadas, entre elas o Machiatto, combinação do espresso com um pouco de leite vaporizado, versão italiana do nosso Pingado. No entanto, o tradicional e bom Pingado mantém liderança absoluta e folgada nos pedidos dos balcões das padarias, juntamente com o inseparável pão na chapa.

Manter a História viva é preservar a cultura, a memória e tudo de bom que ela pode proporcionar.

Valorizar o Pingado como uma manifestação cultural genuinamente brasileira através de um movimento aberto, de livre adesão e totalmente voluntário é a premissa do EU ADORO PINGADO (www.adoropingado.net). 

A logomarca oficial, criada pelo designer gráfico Rodrigo Greco, de Belo Horizonte, pode ser utilizada das mais diversas formas, aplicada em camisetas, botons, papelaria e websites, desde que atendendo alguns requisitos simples.

Tem como irmã a Média, que leva mais leite, até chegar no famoso “meio a meio”, quando se tem a Média Clara. Com menos leite, tem-se a Média Escura.

E, afinal, o como é um bom Pingado?


MANDAMENTOS DO BOM PINGADO

1) O café, base do Pingado, tem de ser honesto, de boa procedência e qualidade. (Um café de boa qualidade é delicadamente adocicado.)
2) O preparo de café tem de ser correto, seja como cafezinho (no coador de pano ou papel) ou espresso.(Regras de Bom Preparo, que falam da quantidade de pó e qualidade da água, devem ser observadas.)
3) Café gostoso é o preparado na hora, de preferência.(Não deixe o café por muito tempo em garrafa térmica ou sob aquecimento, pois isso leva à oxidação e, portanto, a uma perda de sabores.)
4) Se o seu Pingado for feito com espresso, o café pode ser diluído como um “carioca” antes da adição do leite. (Diluir o café, sim; diluir o leite, nunca.)
5) Use leite de boa procedência, sempre.
6) O leite pode ser integral, semi-desnatado ou desnatado. (Porém, o ideal é usar o integral.)
7) Evite ferver ou aquecer continuamente o leite. (Para que o seu sabor não se perca, nem suas qualidades nutritivas.)
8) O Pingado usa apenas um pouco de leite, o suficiente para criar uma cor de caramelo ao se combinar com o café.(A Média é uma variação que leva mais leite, até o “meio a meio”.)
9) Adoce a gosto. (Mas, deve ser lembrado que um bom café e um bom leite são levemente adocicados por natureza.)
10) Sendo um autêntico Café da Manhã, recomenda-se como acompanhamento do Pingado, um perfumado Pão na Chapa.


TIPOS DE PINGADOS

Eu prefiro o pingado de café com um pingo de leite; e, sem adoçar.

Pingado

É o café com apenas um pingo de leite 


Meio a meio

Belo equilíbrio: a média tem a mesma proporção de café e leite 

Pingado claro

É mais suave. Vai com duas partes de leite para uma parte de café 


Ainda mais clarinho

Muito leite com um pingo de café, só para dar uma corzinha



FONTE:

http://veja.abril.com.br/brasil/hugh-jackman-chega-a-sao-paulo-e-se-anima-com-um-pingado/

http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos+paladar,tipos-de-pingado,3782,0.shtm

http://www.redepeabirus.com.br/redes/form/post?pub_id=70140

Café com Bolo de Caneca




Li no site do Genot Café Especiais que: "Das aventuras que muita gente vive dentro da cozinha de casa, preparar um bolo talvez seja uma das mais comuns. E não é atoa. Essa sobremesa é uma das receitas mais presente na vida de todos nós. A começar pelas boas lembranças que ela traz, seja o cheiro bom da casa da avó ou os aniversários e confraternizações. E, em meio a tantas recordações, estão também as dezenas de preferências que cada um de nós tem por sabor, coberturas, etc. Por isso, uma ótima dica para quem ainda está desvendando os mistérios da culinária caseira é o bolo na caneca, conhecido também como mug cake. De preparo simples e rápido, todos os ingredientes vão dentro da caneca e depois é só colocar no micro-ondas. Prontinho! Você tem uma sobremesa deliciosa, no sabor que você escolheu e sem bagunça na cozinha. O bolo na caneca combina perfeitamente com um sofá aconchegante e um bom filme. Bom apetite!"

Para o Café desta tarde, fiz bolo de chocolate!




Minha próxima aventura rsrsrs

Até a última gota de Café


Ontem após uma amiga reclamar que sempre sobrava um restinho de produto nas embalagens tetra pack, um amigo se prontificou a ensinar a melhor forma de aproveitar "até a última gota", do leite, iogurte, sucos, achocolatado, creme de leite, leite condensado... E, abrindo as laterais dobradas da embalagem, nosso amigo fez a demonstração de como aproveitar todo o produto, sorvendo-o até o final. Foi engraçado.

Esse tipo de embalagem cartonada foi descoberto em 1951 pelo empresário sueco Ruben Rausing. Lançada em novembro de 1952, as embalagens além de atraentes e completas para o consumo de produtos frescos, oferecem também ao consumidor: praticidade, abertura fácil... mais ainda cabe ao consumidor "mais exigente" descobrir como não perder "nadica de nada" do produto.

Lembrei de ter lido algo sobre embalagens de café com o mesmo benefício: apreciar até a última gota! E, acredito que talvez inspirado nas guampas (chifre talhado em forma de copo ou vasilha para líquidos) de tomar tereré e chimarrão o designer esloveno Anze Miklavec criou o Goat Mug.


A história do café registra que há muitos anos atrás, na Etiópia, um pastor percebeu que seu rebanho de cabras ficava alegre e saltitante quando comia grãos de café direto da árvore. Então, ele resolveu fazer o mesmo, transformando os grãos na aclamada bebida.



Fazendo toda uma analogia com as cabras, conhecidas por terem sido as verdadeiras descobridoras do café, e, em homenagem a esses animais o designer esloveno Anze Miklavec criou algo inovador, o Goat Mug. um copo com formato de chifre de cabra que permite que você consiga beber até a última gota de café. Além disso, o copo é sustentável, livre de Bisfenol e conta com duas alças, para que ele possa ser levado para qualquer lugar, seja no pulso, ombro ou pendurado na bolsa, por exemplo.



O Goat Bug ainda vem acompanhado para que ele possa ser colocado em cima da mesa e outros lugares.



Quer um? Clique aqui.

fonte

http://genot.com.br/designer-cria-xicara-que-permite-beber-ate-a-ultima-gota-de-cafe/

Cabines telefônicas de Londres se transformam em cafés


Com a criação dos celulares, os orelhões e cabines telefônicas já não te mais a mesma utilidade de antes. Pensando nisso, as icônicas cabines telefônicas britânicas ganharam uma nova função, em vez de guardarem telefones, algumas dessas cabines foram transformadas em cafeterias!

Desde 2008, a BT, empresa de telefonia que é dona das cabines telefônicas na Inglaterra, permite que pessoas e empresas “adotem” cabines, a fim de manter a preservação dessas peças históricas. Dos mais de 600 telefones públicos instalados no país, a organização Red Kiosk escolheu 100 deles para transformar em pequenos negócios.



Legal, não é? Se for a Londres, não deixe de visitar uma dessas e tomar um cafezinho!

FONTE

http://genot.com.br/cabines-telefonicas-de-londres-se-transformam-em-cafes/

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Perpétua Café-Brechó



Hoje conheci, com meu filho, o Perpétua Café-Brechó. E, comecei logo com um café cappuccino brasileiro, e depois passei para o café macchiato acompanhado de pão de queijo e pão de batata de carne seca... 


Lugar agradável. Mesas ocupadas dentro e fora do estabelecimento. Gostei de ver: pessoas de todas as idades conversando; e, tomando café.

Ficou pra outra oportunidade o cappuccino italiano e outros cafés..., chás, sucos, salgados e doces.



Isa Monteiro é proprietária do Perpétua Café e Brechó


Em anexo a Cafeteria funciona uma loja Brechó com produtos trazidos de São Paulo, Rio de Janeiro, Campo Grande e outras cidades. Os produtos expostos são realmente de brechó; e, em perfeitas condições de uso. Segundo a empresária ela viu na cidade potencial para investir em um negócio diferente, e teve ideia de usar contêineres para o funcionamento da empresa após fazer uma pesquisa e ver que esse tipo de produto estava sendo usado em residências e estabelecimentos comerciais. 









O Perpétua Café-Brechó, da consultora do Sebrae e empresária Isa Monteiro está situado a Avenida Dourados, em Naviraí/MS; e, atende todos os dias das 7h às 19h.


Isa Monteiro atua como Executive Coach, com vários cases de resultado. Presidente e sócia-fundadora da Associação de Coaching do Estado de Mato Grosso do Sul. Palestrante nos temas de Coaching e Consultoria Empresarial. Sócia-diretora da Isa Monteiro Associados. Coaching e Consultoria. Amplo conhecimento na área de negócios atuando há mais de 10 anos com empresas de diversos segmentos. Experiência em consultoria e auditoria contábil nas áreas de Controle Interno e de Demonstrações Contábeis. Sólida experiência em implantação e reestruturação de processos e controle interno financeiros. Participante no Projeto Clínica Empresarial para atendimento às Incubadoras Municipais. Conselheira e Coordenadora de Eventos no Conselho Regional de Contabilidade/MS. Docente na Universidade Católica Dom Bosco nos Cursos de Administração e Ciências Contábeis.

**Pensamento Favorito**
"A vida não é o que acontece e sim o que você faz com o que acontece."

vídeo aqui


Termina o Horário de Verão


O horário de verão termina neste domingo (19), a partir da 0h, quando os relógios devem ser atrasados em uma hora nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Se você está acostumado a tomar café às 7h, mude para 6h45

Você sabia que o horário de verão termina neste sábado (18)? Talvez você faça parte da extensa lista de pessoas que sofrem com a mudança, não é? No sábado, vamos ganhar uma hora a mais, por isso, é necessário adaptar o corpo a nova mudança. A dica é atrasar o relógio biológico 15 minutos por dia. Por exemplo, se você está acostumado a tomar café às 7h, mude para 6h45.

— Mesmo que você não esteja com fome, é bom “forçar” a refeição. Na hora de dormir também vá para a cama 15 minutos mais cedo.


O americano Benjamin Franklin, em 1784, foi o primeiro a propor que se adiantasse o relógio para melhor aproveitar o sol, quando ainda não existia energia elétrica.

O primeiro país a adotar foi a Alemanha durante a primeira guerra mundial.


No Brasil o horário de verão foi adotado pela primeira vez em 1931, com duração de 5 meses. Até 1967 a mudança ocorreu 11 vezes.

Desde 1985 a medida vem ocorrendo sem interrupções. Em 2008, por Decreto Presidencial se oficializou o período. Começa sempre no terceiro domingo de outubro e termina no terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte.


Vários países já adotam o horário de verão. Parte da Europa, Oceania, América do Norte e do Sul. Somente varia a vigência.


Le Bouche à Oreille


Um café no centro da França foi dominado por clientes gourmet e equipes de TV depois que foi premiado com uma estrela Michelin - por engano, o que se ficou sabendo mais tarde.

Os potenciais clientes ficaram surpresos quando apareceram no Bouche à Oreille, na pequena cidade de Bourges; e, encontraram um restaurante simples, decorado com toalhas de bolinhas vermelhas e brancas, servindo um cardápio fixo de almoço com lasanha caseira ou bourguignon de carne por cerca de 10 € (£ 8,50).

O guia Michelin pediu desculpas, dizendo que tinha confundido o café com um estabelecimento mais refinado de mesmo nome perto de Paris. A listagem foi alterada em seu site, mas apenas dois dias depois.

Véronique Jacquet, que dirige o café, disse que tinha uma clientela regular de comerciantes locais. "De repente, a rotina foi alterada; e, tivemos que nos apressar. Os repórteres estavam chegando e então meu filho me telefonou de Paris, onde ele mora. Quase morrendo de tanto rir."

O outro Bouche à Oreille, fica em Boutervilliers, perto de Paris, e oferece decoração e pratos mais sofisticados, com um menu de € 48, incluindo champanhe.


Aymeric Dreux, o chef, disse: "Telefonei para Madame Jacquet em Bourges. Nós nos divertimos muito com isso".

A cozinheira da Sra. Jacquet, Penélope Salmon, disse que nunca sonhou em ganhar uma estrela Michelin, mas acrescentou: "Coloco o meu coração na minha cozinha".

Claire Dorland-Clauzel, da Michelin, disse ao Le Parisian: "Pedimos desculpas aos dois estabelecimentos e lamentamos ter enganado os nossos clientes". 




Guia Michelin é um guia turístico publicado pela primeira vez em 1900 por André Michelin, um industrial francês fundador da Compagnie Générale des Établissements Michelin, fabricante de pneus mais conhecida como Michelin. O objetivo de André era o de promover o turismo para o crescente mercado automobilístico. Está presente na maioria dos países europeus e em vários no mundo todo. O Guia é publicado em duas cores sendo que cada uma delas tem uma aplicação diferenciada.

FONTE



http://www.telegraph.co.uk/news/2017/02/18/workmens-cafe-overwhelmed-customers-accidentally-given-michelin/

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A Importância do Q-Grader na Torrefação do Café


Você provavelmente já ouviu falar nos enólogos. Profissionais que conhecem tanto sobre vinhos que são contratados para ajudar na fabricação e auxiliam empresários na decisão sobre a melhor terra para cultivo das uvas, a técnica perfeita para colheita, além de analisar itens importantes durante todo o processo de produção da bebida.

Agora, você sabia que o mercado de café também tem um profissional equivalente, especializado em todo o processo de plantio, torrefação e avaliação da bebida?

Estamos falando sobre o Q-Grader, o especialista que está presente nas principais indústrias de café e que, após muito tempo de estudos, torna-se apto a avaliar o processo de fabricação e o produto final. Se você está comprando café especial ou micro-lote de uma marca que não tem um Q-Grader por trás, muito cuidado! É como se um apreciador de vinho começasse a produzir a sua própria bebida sem o devido conhecimento técnico.

Uma indústria de café que se propõe a oferecer os melhores cafés do mundo precisa ter um Q-Grader na sua equipe.

Neste post, você vai conhecer um pouco mais sobre esse profissional, a sua qualificação e, claro, como fazer para se tornar um deles. Confira!

Q-Grader: provas, testes e exigências

Apesar do nome americanizado, os Q-Graders já aparecem e se destacam com cada vez mais frequência também no Brasil.

Em uma definição resumida, esses profissionais são provadores e qualificadores de café, graduados em cursos do Coffee Quality Institute (CQI), escola que faz parte da Associação Americana de Cafés Especiais.

Durante várias semanas, os estudantes que se interessam por essa qualificação passam por testes que analisam sua capacidade de degustação, habilidades sensoriais e conhecimentos sobre diversos temas ligados a esse universo.

Além das provas práticas que incluem, inclusive, identificar e nomear grãos apenas pela visão ou paladar, os futuros Q-Graders passam por provas escritas e teóricas que exigirão o conhecimento sobre a história do café.


Tantos testes são necessários porque esse profissional precisa estar apto a acompanhar todas as fases da produção do café. Além disso, o Q-Grader está credenciado a ser juiz de concursos de qualidade em qualquer lugar do mundo, já que também deve entender sobre as peculiaridades de cada origem cafeeira — desde os vulcânicos da África aos suaves da Colômbia e América Central — e, claro, da complexidade e diversidade dos produzidos no Brasil, país que mais produz cafés de alta qualidade no mundo.

Pode parecer inusitado à primeira vista, mas uma fazenda ou fábrica que conta com um Q-Grader em sua equipe pode ter aumentos de venda e valor de seus produtos.

Isso acontece porque esse especialista poderá identificar a presença de grãos nobres na colheita, dar dicas de como melhorar o cultivo e o sabor final do produto. Algumas marcas de café tiveram suas notas melhoradas nos rankings de qualidade do setor, o que acaba aumentando o valor agregado do produto.

Investimentos e remuneração
Tornar-se um Q-Grader não é tarefa fácil. Além das provas, testes e as horas de estudos, encontrar uma instituição credenciada e que possa entregar o certificado de conclusão desse curso ainda não é fácil por aqui. 

Uma das mais conhecidos está na presente em Minas Gerais, na Universidade Federal de Lavras, no Sul do Estado — não coincidentemente uma das regiões com maior produção de café do Brasil. O investimento médio é de cerca de R$ 4 mil, somente com as aulas. Deve-se levar em conta, ainda, despesas de deslocamento e hospedagem.

A recompensa, além da atuação frequente na indústria do café, são remunerações que podem variar de R$ 3 mil a R$ 30 mil — este, mais alto, destinado aos profissionais que possuem conhecimento em exportação de café, mercado financeiro, transações internacionais, entre outros.

Dicas para se tornar um Q-Grader

Se você se interessou pela possibilidade de ser um Q-Grader, o primeiro passo, é claro, é procurar uma das instituições autorizadas e credenciadas para iniciar o processo. Elas oferecerão os cursos, aplicarão os testes oficiais e entregarão os certificados, caso haja a aprovação. É por meio delas, também, que será feita renovação da chancela, quando necessário.

Mas, como nós também somos apaixonados por café, separamos algumas dicas que são fundamentais para quem deseja ingressar nessa carreira. Confira!

Tome muito café

Pode parecer uma dica óbvia, mas é fundamental que um Q-Grader beba muito café! Experimentar, cheirar, harmonizar e entender as diferenças entre eles é fundamental. Esses especialistas costumam utilizar um “mapa visual” chamado Flavor Wheel, que em português seria algo como Roleta de Sabores.

Com ela, é possível acompanhar e analisar as diferentes nuances, os sabores e os níveis de acidez dos cafés que você experimenta, além de identificar em que parte dessa roleta eles podem ser encaixados.

Estude os métodos de torrefação

Mais do que a qualidade do grão, a forma como ele será torrado também influenciará muito no sabor final da bebida. Por isso, estude sobre as principais formas de torrefação, experimente os sabores, anote e compare as diferenças entre cada método.

Aprecie diferentes tipos de café

Colombianos, brasileiros, africanos. Ao redor do mundo existe uma variedade gigantesca de sabores, aromas e texturas de grãos de café. Alguns terão sabores bem diferenciados e que não são semelhantes aos que estamos habituados a consumir no Brasil. Abra o seu paladar para as diversas possibilidades.

Conheça os métodos de avaliação

Antes de qualquer prova, é fundamental entender como funciona o sistema de avaliação, formulários e questionários da instituição.

Acesse o site da Associação Americana de Cafés Especiais e estude como funciona, inclusive, o sistema de gabarito dos exames que são um pouco incomuns. Não limite-se aos cursos que você estiver fazendo. Busque, também, conhecimento por conta própria.

Se interessou pela verdadeira arte de ser um Q-Grader? Então, corra atrás dos cursos disponíveis e seja, em breve, mais um profissional desta área.

No blog do Villa Café, você encontra muitos outros artigos que podem te ajudar nos seus estudos. Por exemplo, um café ser forte realmente significa que ele tem mais qualidade que outros? Leia este post e tire suas dúvidas sobre o assunto!



FONTE

https://villacafe.com.br/entenda-a-importancia-do-q-grader-na-torrefacao-de-cafe/

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Bebo Café! Para sua Segurança!




Bebo Café! Logo Existo!

Meus amigos ou aqueles que me acompanham a algum tempo pelo “ciberespaço” sabem que eu adoro café. Quente, gelado, com licor ou whisky, esta bebiba deliciosa originada na Etiópia faz parte dos meus 3 C’s da produtividade: Café – Chocolate – Coca-cola

Existe uma magia no café que nunca será alcançada por energético algum. Mesmo um Red Bull estupidamente gelado não te dá o prazer de um café moído na hora. E o que dizer do Cappuccino? A boca encheu d’água só de imaginar…rsrs. O aroma, estilo e sabor do café se complementam te dando aquela sensação de alegria e bem estar que é diferente de qualquer bebida.

Dito isto, esta é a melhor lista de canções sobre café que você encontrará na internet. Preparei então uma mistura de canções intensas, loucas, tristes, obscuras e populares que você deve ouvir e apreciar.

10. Black Coffee – Everlast

Uma canção tranquila regada por uma voz rouca (adoro este estilo de voz) que fala da história de uma mulher deixar um homem "Sóbrio e sério, assim como o café preto."

9. Black Coffee in Bed – Squeeze

Pop inglês do início dos anos 80 que contou com Elvis Costello no backing vocal.

8. Kids on Coffee – The Descendents

Enérgica, contagiante e rápida como todo punk de qualidade de ser.

7. The Coffee Song – Frank Sinatra

Uma música muito bem humorada que conta com a visão um tanto exagerada do grande Sinatra ao passar pelo Brasil e presenciar nossa cultura sobre o café. Clique aqui e veja a tradução.

“A FILHA DE UM POLÍTICO FOI ACUSADA DE BEBER ÁGUA… VOCÊ SAI COM UMA MENINA E DESCOBRE DEPOIS QUE ELA CHEIRA COMO UM COADOR…”

6. Racist Coffee – Julian Smith

Nesta eclética lista, não poderia faltar a musiquinha chiclete, não é mesmo?

"SOME ONLY DRINK IT WHITE, SOME ONLY DRINK IT BLACK, BUT WE DRINK IT BOTH WAYS SO WE DON’T GET FLACK"




5. Black Coffee – Humble Pie

Conhecida pela ótima canção “I Don’t Need No Doctor” e por ter como integrante ninguém menos que Peter Frampton, um dos maiores guitarristas de todos os tempos. A canção BLack Coffee é uma das que eu mais gosto desta lista.

4. Black Coffee – Black Flag

Raiva, cafeína e paranoia! \o/

3. Black Coffee – Ella Fitzgerald

Diminuindo o ritmo, passando da meia noite, chegando aquele ar triste e sombrio. Ella Fitzgerald nos trás 3 minutos de tranquilidade e conforto através de sua belíssima voz num tom firme e aveludado. Lançada em 1948, Black Coffee é mais uma ótima canção sobre um de seus momentos em que se via a beira da loucura, falando com as sombras, na madrugada fria regada a nicotina e café preto.


2. Cigarettes and Coffee – Otis Redding

Para aqueles que levantam antes de acordar, café é o nosso combustível. Ao mesmo tempo, nas últimas horas do dia, o café te ajuda a relaxar depois de um longo dia de trabalho e, no meu caso, continuar a ter boas idéias sobre a vida, o universo e tudo mais para escrever e compartilhar aqui com vocês.

Cigarettes and Coffee é uma canção suave e apaixonada sobre os amores da vida.

1. One More Cup of Coffee – Bob Dylan

Sem comentários para Bob Dylan… apenas ouça e sinta.


Murilo Lima

Criador e editor-chefe do Geek Café. Administrador entusiasta de novas mídias, inovação e mentes fora da caixa.
fontehttp://geekcafe.blog.br/musica/10-musicas-sobre-cafe/