Total de visualizações de página

terça-feira, 9 de maio de 2017

Repair Café


Repair Café – A cafeteria dos consertos

“O que você faria com uma torradeira que não funciona mais? Jogar fora? De jeito nenhum!” Essa é a visão da Repair Café, criada na Holanda pela jornalista Martine Postma. A iniciativa reúne eletricistas, costureiros, carpinteiros e mecânicos voluntários, que oferecem consertos gratuitos para itens quebrados em uma espécie de cafeteria ambulante. O cliente leva o objeto, aprende a arrumá-lo ao lado dos profissionais e ainda pode bater um papo com outras pessoas. E o melhor: “Se não tiver nada para ser reparado, você pode aproveitar uma xícara de café”.

A ideia surgiu da vontade de promover a sustentabilidade. Assim, a Repair Café viaja por diversos lugares da Europa e dos Estados Unidos relembrando a velha arte do “faça você mesmo” aos clientes. “O problema é que muitos se esqueceram que é possível reparar as coisas com as próprias mãos. Ensinamos as pessoas a verem suas posses com outros olhos e apreciarem o seu valor. Queremos mostrar como isso pode ser divertido e fácil”.

Além dos profissionais a disposição do cliente, o café ainda disponibiliza materiais para o conserto de roupas, móveis, eletrodomésticos, bicicletas e outros itens. Ainda há uma espécie de livraria, onde você pode encontrar livros e manuais sobre reparos.

O legal do projeto é que ele incentiva a criação de outros Repairs Cafés espalhados pelo mundo. Pelo preço de R$ 75 (€ 25), os interessados levam para casa o manual da iniciativa, flyers e panfletos de divulgação, placas e outros itens básicos para a cafeteria.


Para mais informações sobre o projeto, basta acessar o site. Porque, além de contribuir para o meio ambiente, se juntar para bater um papo regado a café é uma delícia, não é mesmo?

Imagens: Revista Trip

Por: Lucas Tavares

Escrito por Mexido de Ideias


Jogar fora? De jeito nenhum!

Porque jogar fora se podemos consertar?
Esse é o princípio do Repair Café – Café Conserto que nasceu na Holanda e hoje existe em diversas cidades no mundo.

A ideia é reparar, em conjunto, eletrodomésticos, brinquedos, roupas, etc que estavam destinados ao lixo, mostrando às pessoas que cada vez que algo quebra, não precisa necessariamente ser jogado fora.

As pessoas levam itens quebrados e, juntamente com especialistas (eletricistas, carpinteiros, entre outros), realizam os consertos utilizando ferramentas e materiais disponíveis no local.

No Brasil a ideia ainda não é muito conhecida, mas uma iniciativa está sendo organizada no Rio de Janeiro e estão buscando voluntários de qualquer idade que saibam consertar:
– Bicicletas
– Móveis, brinquedos, etc
– Roupas
– Eletrodomésticos

Quem tiver alguma (ou mais de uma) dessas habilidades ou conhecer alguém que as tenha, favor enviar um email para repaircafe_rj@yahoo.com.br

Para quem quiser saber mais sobre a iniciativa, o site oficial do Repair Café é http://repaircafe.org (disponível em inglês, alemão e francês).

by Juliana Mesquita


Os cafés onde voluntários consertam coisas de graça para protestar contra a obsolescência programada

Você já ouviu falar que os produtos de hoje em dia são feitos para durar pouco? Se antes um guarda-chuva durava anos, hoje ele quebra na primeira tempestade. Se antes uma televisão ficava na sala por 5, 10 anos, hoje ela é trocada a cada 2 ou 3. A essa curta vida útil dos produtos se dá o nome de obsolescência programada.

Mas trocar de TV, carro ou celular não traz apenas o benefício da tecnologia. É preciso também pensar nos danos que isso traz para o meio ambiente. Foi assim que surgiu o Repair Café, um conceito de café em que as pessoas de uma vizinhança se reúnem para consertar objetos quebrados em vez de jogá-los fora e comprar novos.

O primeiro Repair Café do mundo foi criado em Amsterdã, na Holanda, por Martine Postma. Em um determinado dia da semana, voluntários se reúnem para consertar itens que vão de brinquedos quebrados e roupas descosturadas a secadores de cabelo que não funcionam mais. Todos os reparos são feitos gratuitamente, como em uma troca de gentilezas e aprendizado entre os moradores da região. A ideia deu tão certo que hoje existem mais de 300 Repair Cafés em mais de 10 países do mundo. No Brasil há um único Repair Café, que acontece através da ANDES e fica em Santos (SP).

Que tal levar essa ideia para outras cidades?









Lojas que oferecem reparos feitos por voluntários se espalham - O movimento do ‘repair café’ já está presente em 29 países

BERLIM - Uma ideia surgida há sete anos na Holanda, o movimento do repair café (café de consertos), se espalhou rapidamente pelo mundo. Nesses 1.150 cafés, presentes em 29 países, mecânicos aposentados ou amadores dedicam parte do tempo a consertar de graça itens que vão da cafeteira à luminária com o objetivo de evitar o esbanjamento.

Durante a “Semana Internacional”, realizada recentemente em Berlim para celebrar o aniversário de sete anos, a jornalista holandesa Martine Postma, que abriu o primeiro Repair Café em Amsterdã, no dia 18 de outubro de 2009, afirmou que a política de “menos lixo e mais contato pessoal” é uma contribuição importante para a sustentabilidade. A ideia de consertar, em vez de pôr no lixo, já começa a ser descoberta pelos políticos como um mecanismo importante da política de meio ambiente.

Segundo Harald Marpe, da associação dos moradores no núcleo da Praça Clausener, o repair café reforça a ideia contra a sociedade de consumo.

— Na Europa, ninguém manda mais consertar os aparelhos que quebram porque muitas vezes os custos do conserto superam o da aquisição do produto novo — lembra Marpe, de 60 anos.


EMPURRÃOZINHO TRIBUTÁRIO

Na Praça Clausener, perto do Castelo de Charlottenburg, em Berlim, o repair café reforça a ideia de núcleo comunitário, embora o aspecto mais importante sejam as montanhas de lixo provocadas pelos aparelhos “descartáveis”. O que não era consertado acabava aumentando o lixo poluidor do meio ambiente ou era exportado para a África, como pneus velhos, o que contribui para elevar os problemas ecológicos desses países.

A reação ao repair café de Amsterdã foi explosiva. Em pouco tempo, cidades de Bélgica, Estados Unidos e Alemanha endossaram a ideia de que “consertar é criativo e sobrevive à moda”. Na Alemanha, o primeiro repair café foi aberto em 2012, em Colônia. Hoje, já existem unidades em países como Turquia e Gana.

Sinal de que a cultura do combate ao desperdício se espalha pela Europa foi a decisão do governo da Suécia de tentar estimular o conserto de objetos como sapatos e eletrodomésticos. O país planeja oferecer incentivos fiscais para o reparo de calçados, roupas, artigos de couro, têxteis e bicicletas. O imposto para o conserto destes itens deve ser reduzido de 25% para 12%, de acordo com um plano apresentado em setembro ao Parlamento.

A proposta é ainda mais abrangente. O governo sugere que os contribuintes possam ser restituídos por metade dos custos de mão de obra com o reparo de produtos como máquinas de lavar, geladeiras e fogões. A estimativa é que a mudança custe ao governo US$ 86,4 milhões. A interpretação do governo é que a população está disposta a consumir de forma mais sustentável e que o incentivo é bem-vindo.

Em práticas colaborativas, como o repair café, nada funciona comercialmente. O imóvel usado para o encontro de mecânicos e proprietários de aparelhos quebrados em busca de ajuda é emprestado por instituições municipais. Também a xícara de café tomada durante o encontro e as peças usadas nos reparos vêm de doações.

Segundo o engenheiro Birger Prüter, encarregado de técnica do meio ambiente e energia renovável da repartição distrital de Charlottenburg-Wilmersdorf, bairro central na antiga Berlim Ocidental, as prefeituras apoiaram imediatamente a ideia.

— Nada pode ser melhor para o meio ambiente do que o conserto e reaproveitamento de aparelhos — diz Prüter.

As reuniões em Charlottenburg-Wilmersdorf ocorrem na primeira quinta-feira de cada mês no salão de uma escola de alemão para estrangeiros, quase todos refugiados. Igor, um aposentado que sempre teve talento para consertar tudo, frequenta as reuniões regularmente. Em troca do contato social e da sensação de se sentir útil, ele dedica quatro horas por mês ao conserto dos aparelhos quebrados dos habitantes do distrito.

Gisela M., que vive num prédio vizinho, aproveitou para trazer a luminária que herdou da mãe e que havia deixado de funcionar.

— Confesso que não teria coragem de pôr essa peça de valor real e afetivo no lixo, mas as oficinas tradicionais de consertos, como ainda existem no caso dos sapateiros, desapareceram porque os custos quase sempre superavam o valor da aquisição — diz Gisela, feliz em ver que depois de apenas 20 minutos de ação, Igor fez a luminária voltar a funcionar.

Na fila de espera, vizinhos aguardam com aparelhos de toda sorte, desde cafeteiras a rádios, CD-players e até vitrolas antigas que já não são mais encontradas no comércio.

Na entrada da sala, Prüter registra todos os visitantes com nomes, endereços e objetos trazidos para o conserto. Quase todos são moradores do mesmo bairro, mas qualquer um pode levar algo para consertar.





LUXO DO LIXO

De acordo com Marpe, a febre do repair café não é um fenômeno isolado, porque faz parte de um processo antiglobalização, no qual as pessoas cultivam pequenos núcleos comunitários, onde se sentem mais protegidas do que no anonimato das grandes cidades.


Mesmo com seus 3,7 milhões de habitantes, parte dos moradores de Berlim ainda restringe seus hábitos a regiões menores. Alguns deles vivem, se divertem, fazem compras ou vão ao médico nos seus próprios bairros.

O conserto de produtos não é a única forma de consumo sustentável a ganhar espaço. A reutilização de sobras, resíduos ou produtos inutilizados para criar novas peças de maior valor, o chamado upcycling, também conquista novas fãs. A butique de “luxo do lixo”, de Eric Pieper, adota a prática e vende cintos feitos de pneus velhos. Segundo Pieper, o consumidor leva, junto com o produto, a história do material.

O upcycling é usado não somente na moda. Esculturas e outras obras de arte expressam também a ideia de que nada se perde, tudo se transforma, mesmo que com aparência e funções diferentes. 

fonte

Todas as fotos © Repair Café

https://oglobo.globo.com/economia/lojas-que-oferecem-reparos-feitos-por-voluntarios-se-espalham-20419793

http://consumocolaborativo.cc/repair-cafe-cafe-conserto/

https://www.facebook.com/RepairCafeInternational/

http://www.hypeness.com.br/2014/07/o-conceito-de-cafe-em-que-voluntarios-consertam-desde-uma-geladeira-ate-uma-boneca/

http://www.mexidodeideias.com.br/viagem/repair-cafe-a-cafeteria-dos-consertos/

domingo, 7 de maio de 2017

Café com Vista para a Isso É Café


Hoje quando vi o vídeo acima no facebook Art, Craft & Architecture lembrei da postagem CAFÉ COM VISTA PARA CIDADEdo Virei Blogueira... Lá nos é apresentado um lugar que fiquei com muita vontade de apreciar a vista com café. E se você também é fã de café?! ☕ ☕ Então, Puxe a cadeira e sente aqui comigo! 

   



Com o passar do tempo morando em SP, você começa enxergar beleza nas paisagens urbanas. É comum ir a algum local alto, com janelas grandes, olhar a vista e soltar: “Nossa que vistão bapho”. Acreditem mygos cariocas, por mais estranho que possa parecer, as luzes, os carrinhos pequeninos lá embaixo, o movimento da cidade, o contraste das cores/céu/prédios é belo também. Ok? Ok ٩(-̮̮̃•̃)۶ E por aqui os mirantes tem ~ pausa dramática ~

V I S T A P A R A C I D A D E 


Hoje nós vamos falar do coffee shop com vista para cidade que mais amamos → Isso É Café, ele possui um dos melhores grãos do Brasil ✩✩✩✩✩ e fica no espaço babadeiro multicultural → Mirante 9 de Julho. Por lá também rola galeria de arte, shows, filmes ao ar livre e uma cozinha com chefes itinerantes. O mirante fica a apenas dez metros de distância do MASP, Museu e cartão-postal da cidade. Se você ainda não conhece, faça um favor a sua pessoa e vá pesquisar sobre (aquelas!).

Voltando a pauta, a história da Isso É Café começou muito antes da cafeteria. Trocamos uma ideia com o Fafá, um dos sócios do local e ficamos sabendo de todos os babados por trás dos grãos mais maras de SP.


A empresa é composta por três jovens sócios, Felipe, Wago e o Fafá. Eles entenderam que os cuidados com a produção do café de qualidade vão muito além do plantio. Apostaram em novas técnicas, processos e meios de produção mais sustentáveis e orgânicos. Começaram a exportar por esse mundão, elevando o nome e qualidade do café brasileiro. Após um tempo, eles decidiram que era hora de movimentar a cena nacional de cafés especiais e montaram um laboratório de provas em SP, para aprofundar o estudo dos grãos.


Há mais ou menos dois anos atrás eles foram procurados por cafeterias interessadas em cafés especiais e torrados para venda. E notaram o início de uma nova cultura e forma de consumir café em sampa city. Daí eles começaram a fazer eventos e na sequência foram convidados por ninguém mais, ninguém menos que Facundo Guerra, para fazer parte do projeto de revitalização do Mirante 9 de Julho.

De lá pra cá muita coisa mudou. No início do projeto eles não tinham a intenção de ter uma cafeteria. E atualmente a Isso É Café se tornou uma vitrine para os produtos criados e um espaço para explorar as comidas da fazenda, como frutas, geleias, queijos e verduras. Fafá diz que ter o contato direto com o público é uma ferramenta parar criar coisas e entender melhor o consumidor final. Por lá eles apresentam e testam novas invenções. DE-LI-CIA. Local perfeito para apreciadores, entendedores, viciados, novatos e até os que curtem café só um pouquinho ღ

“A verdade é que quando você toma um café de qualidade, é difícil voltar atrás. O paladar e seus parâmetros mudam” By Fafá.




Gente, tudo lá é delicioso. Uma ótima opção de café da manhã para apreciar a vista, degustar variadas opções de cafés com acompanhamentos frescos e produzidos na fazenda. Dica: Aproveite que a Av. Paulista fecha aos domingos e vai lá tomar um café. Emenda num passeio de bike/ skate/ patins/ a pé pela Paulista. Também é um ótimo local para marcar reuniões ou trabalhar remoto. O wi-fi é livre, ambiente é mara e o café, precisa nem dizer \o/.

Amigos do Rildy que estão sem planos de vir, podem comprar no site deles: aqui

Gold Brew Nitro

Gold Brew Nitro – Café infusionado a frio por 12h e envasado com nitrogênio. Bebida cremosa com notas de chocolate escuro, delicado aroma de cerejas em conserva e uma finalização persistente de coco e madeira.

Mel e Micro lote – Fazenda Ambiental Fortaleza


Cascafé – chá gelado de casca de café

Obrigada Fafá e todo pessoal do Isso É Café por nos receber e compartilhar a história FODA por trás desses grãos deliciosos. Aprendemos um monte e estamos in love pelos cafés. Bonito de ver a preocupação e o cuidado que vocês tem, desde a semente até chegar a nossa xícara. Vocês arrasam!

Um oferecimento, BISCOITO COM BOLACHA™
Isso É CaféR. Carlos Comenale s/n – Bela Vista
(atrás do MASP, próximo ao metrô Trianon/MASP)
Ter a Dom: 10AM – 8PM

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Coffee Week Brasil


Qualidade também cabe em uma xícara

A Coffee Week Brasil destaca os espaços que utilizam cafés nacionais de alta qualidade e com isso ajuda a impulsionar toda a cadeia produtiva do setor. Foram escolhidos estabelecimentos que, além de trabalhar apenas com grãos selecionados, também oferecem serviço e atendimento adequados – moagem sob demanda para espresso, preparo com água mineral ou filtrada, equipamentos e utensílios devidamente condicionados e padronização dos produtos.

De 19 de agosto a 4 de setembro (2017) acontece a quinta edição do Coffee Week Brasil, evento que incentiva o consumo da bebida e destaca os espaços que utilizam cafés nacionais de alta qualidade e com isso ajuda a impulsionar toda a cadeia produtiva do setor.

Foram escolhidos estabelecimentos que, além de trabalhar apenas com grãos selecionados, também oferecem serviço e atendimento adequados – moagem sob demanda para espresso, preparo com água mineral ou filtrada, equipamentos e utensílios devidamente condicionados e padronização dos produtos.

O evento acontece em diversos estabelecimentos espalhadas pelos quatro cantos do Brasil, que oferecem promoções especiais, com valores entre R$ 8,90 e R$ 14,90, além de workshops e degustações gratuitas.


FONTE

http://drinkgoodcoffee.com.br/coffee-week-brasil-roteiro-obrigatorio-para-os-amantes-de-cafe/

http://coffeeweekbrasil.com.br/

domingo, 16 de abril de 2017

Eggspresso

O fim dos tempos... rsrs o mundo está começando a pedir: "eggspresso", ou seja, café com ovos de chocolate =D

by Karvan Coffee

sábado, 15 de abril de 2017

Eu espero que chova café




"Eu espero que chova café" (Ojala que llueva café) é o nome do quarto álbum de estúdio do cantor e compositor dominicano Juan Luis Guerra. Foi lançado por Karen registros em 1989 . É o primeiro sucesso multinacional em larga escala de Juan Luis Guerra & 4,40. Este álbum inclui o single "Ojala que llueva café" (Esperemos que chove café), a música socialmente orientada carro-chefe da Juan Luis Guerra muito bem sucedido, cuja audiovisual dirigido por Peyi Guzmán tiro na região sul da República Dominicana é considerado o melhor vídeo de música Dominicana todos os tempos de acordo com os Top 15 vídeos de música da República Dominicana dos Music Awards Prêmios.


Ojala que llueva café (Eu espero que chova café) também se caracteriza por ser o primeiro álbum a incluir uma música para o ritmo da salsa .


Tomara Que Chova Café

Tomara que chova café no campo
Que caia um aguaceiro de mandioca e chá
Do céu uma tasquinha de queijo branco
E ao sul uma montanha de agrião e mel
Tomara que chova café

Tomara que chova café no campo
Pentear uma alta serra
De trigo e cará
Descer pela colina de arroz graneado
E continuar o arado com seu querer

Tomara que o outono, em vez de folhas secas
Pinte minha colheita de torresmo
Semeie uma planície de batata e morangos
Tomara que chova café

Tomara que chova café no campo
Semear uma serra alta de trigo e cará
Descer pela colina de arroz graneado
E continuar o arado com seu querer
Tomara que chova café no campo

Pra que na realidade
Não se sofra tanto
Tomara que chova café no campo

Pra que na Vila Hidalgo ouçam esse canto
Tomara que chova café no campo

Pra que todos os meninos
Cantem esse canto
Tomara que chova café no campo
Tomara que chova,
Tomara que chova,
Tomara que chova café no campo!





Uma versão desta canção aparece no álbum Avalancha de Éxitos o grupo mexicano Café Tacuba.


Em março de 2008 - Juan Luis Guerra, Juan Fernando Velasco, Ricardo Montaner e Carlos Vives também Juanes e Miguel Bosé, se juntaram em um cenário nada convencional que se converteu em símbolo do fim do recente incidente diplomático, a ponte Simón Bolívar, que une Colômbia e Venezuela foi palco de um espetáculo em que todos cantaram o tema: "paz sem fronteiras". 



sexta-feira, 14 de abril de 2017

Roteiro Café com Cachaça


Minas Gerais apresenta roteiro que mistura café com cachaça. Agricultores familiares abrem suas propriedades para o turista, que tem a chance de conhecer o processo de produção artesanal de duas bebidas tipicamente brasileiras. O copo é quase sempre pequeno, a dose tem que ser na medida certa. O corpo esquenta a cada gole. Café e cachaça são bebidas tipicamente brasileiras. Tomar uma xícara de café ao acordar ou após o almoço é um hábito comum a boa parte dos brasileiros. Alguns, também, não deixam de degustar uma dose de cachaça antes das refeições para abrir o apetite e apurar o paladar.

As duas bebidas caminham juntas em um roteiro de turismo rural pelo sudeste de Minas Gerais. Denominado Café com Cachaça, o passeio oferece a oportunidade de conhecer os processos produtivos artesanais das bebidas sob o cuidado de agricultores familiares. O roteiro faz parte do Projeto Talentos do Brasil Rural.


O programa pode durar um ou dois dias e passa por três municípios mineiros: Viçosa, Arapongas e Guaraciaba. "Minas Gerais é a capital da gastronomia e dois produtos importantes do estado são o café e a cachaça, que já vêm sendo premiados há tempos", diz Renato Cardoso, coordenador do Roteiro Café com Cachaça.

A produção familiar é, ainda, um atrativo turístico que valoriza a cultura local e gera renda à comunidade local, segundo o diretor do Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valor da Secretaria da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Onaur Ruano.


- Melhor café de Minas Gerais

Certificado há oito anos para produzir café orgânico, o agricultor familiar Edmar Lopes cultiva o produto a mais de 1.572 metros de altitude, o que influencia nas características de aroma da bebida. O resultado do trabalho são os dois prêmios de melhor café do estado que a família já ganhou.

Edmar recebe pelo menos 20 visitantes por mês em sua propriedade, o Sítio Cantinho da Saudade, que fica no município de Arapongas. "Nós mostramos desde o princípio da produção: o manejo do solo, a seleção do café, o torrador e a secagem. Eles passam a conhecer todo o processo", afirma.

A produção total de café do sítio varia entre duas e três toneladas por ano. A maior parte da venda é feita via cooperativa, mas o objetivo é aumentar a venda nas visitas. "Hoje eu vendo cerca de 10% do café nas visitas à propriedade. Nosso objetivo é dobrar esse número com o Roteiro Café com Cachaça", afirma.

- Segunda melhor cachaça do Brasil

O agricultor familiar José Maria Santana Júnior deu segmento ao trabalho iniciado pelo pai na Cachaçaria Guaraciaba. Os 400 mil litros de cachaça artesanal são produzidos na Fazenda Independência, em Guaraciaba. Os 300 visitantes anuais vão à propriedade da agricultura familiar para saber como é feita a cachaça.

"Nós trabalhamos com a colheita da cana sem queima, fermentação é natural, destilação em alambiques de panela e fracionada", diz Júnior. "Separamos a cabeça e a cauda e só engarrafamos o 'coração' da cachaça, que é a parte boa do produto", afirma.

O cuidado com a iguaria rende bons frutos e prêmios. A cachaça de Guaraciaba ficou entre as cinco melhores cachaças amarelas do Brasil.

- Como chegar
Saindo de Belo Horizonte, pegar a BR-356 - sentido Ouro Preto - seguir, então, para Ponte Nova e para Guaraciaba, ponto inicial do roteiro. Para circular pela região recomenda-se dispor de um veículo de passeio ou contratar um serviço de turismo receptivo.



Visite: www.revistaecotour.tur.br

fonte

http://ecoviagem.uol.com.br/noticias/turismo/turismo-nacional/minas-apresenta-roteiro-que-mistura-cafe-com-cachaca-18505.asp

Dia Internacional do Café




Comemore o Dia Internacional do Café com nossas receitas!


Até 2013 o Dia Internacional do Café era comemorado na data de 14 de abril. Em março de 2014, os Estados Membros da OIC decidiram organizar o primeiro Dia Internacional do Café, a ser realizado em 1º de outubro de 2015, com o intuito de criar um único dia em que os que amam o café poderão celebrá-lo em todo o mundo. E para ir se preparando para celebrar essa data tão especial, nada mais justo que um brinde com uma xícara quentinha! Por isso, separamos algumas receitas práticas e rápidas para você curtir um dia cafeinado:



Uma mistura deliciosa e que fica pronta em instantes: café e sorvete – também conhecido como affogato. Uma ótima forma de comemorar! Veja aqui como fazer.


O café já está presente no nosso dia a dia. Mas para inovar com um simples ingrediente, que tal incluir o mel de laranjeiras? Veja aqui como é simples deixar essa bebida ainda mais gostosa.


Café, chocolate e pimenta: uma combinação que vai te surpreender. Confira aqui a receita de Café Mexicano que fica pronta em apenas três minutinhos.


A mistura entre café e leite de coco forma o saboroso café havaiano. Veja aqui a receita e surpreenda-se.


E para fechar com chave de ouro as nossas sugestões, dose dupla de café! O dueto cafeinado é uma receita preparada com café coado e cappuccino. Uma mistura deliciosa que você pode conferir aqui.

Agora é só escolher a sua receita preferida e curtir um Feliz Dia Internacional do Café!
Escrito por Mexido de Ideias em Receitas, Receitas com Café

FONTE

http://www.mexidodeideias.com.br/receitas/comemore-o-dia-internacional-do-cafe-com-nossas-receitas/

Coado do jeito japonês


É verão no hemisfério norte e não por isso o consumo de café diminuiu. Graças ao sucesso da cold brew (extração a frio dos grãos de café), que mais recentemente tomou seu lugar cativo nas prateleiras de supermercados, novas técnicas para produzir versões frescas ou geladas da bebida continuam a ser exploradas por aí.

A extração a frio resulta em um café intenso porém sem amargor residual, consequência de um processo de 12 horas que permite que os aromas do café se abram lentamente. No entanto, por ser uma bebida muito lenta no preparo, muitos lugares estão optando pelo coado sobre gelo , mais conhecido como café gelado japonês, que é uma extração quente sobre gelo. A extração quente desenvolve aromas e óleos mais complexos, solúveis apenas sob a ação do calor, resultando em uma bebida mais aromática do que a extração a frio.

A ideia por trás é a seguinte: enquanto a água quente extrai todos os óleos e aromas vibrantes do café, o gelo permite que esses aromas sejam captados (sem se dissipar) e que o amargor do café seja perfeitamente diluído (nesse caso, a água do gelo deve ser contabilizada como parte da água da extração), ao mesmo tempo que sua bebida está sendo resfriada – e voilá, pronta para consumo.

Fácil, sem afetação e com tudo para virar a sensação do próximo verão aqui nos trópicos. Ideal com o nosso Cia Café Biodinâmico em grãos, que possui um sabor adocicado e um aroma floral.

À venda aqui no site: 


video: counterculturecoffee.com

Estes copos geniais com gelo servem para preparar um café gelado barato. Apenas adicione o café lá perto da saída, depois de pagar.



FONTE
http://www.ciaorganica.com.br/coado-japones/

sábado, 8 de abril de 2017

Nitro Coffee



E Esse Tal de Nitro Coffee?

Você está em um bar, seu amigo vai pegar algo pra tomar e, ao voltar, aparece com um copo refrescante de café que mais parece um bom chopp. Se você ainda não passou por isso, em breve passará. Nova bebida queridinha dos apaixonados por café, o Nitro Coffee é mais uma opção indispensável para entusiastas do cold brew e dos cafés gelados.


Mas como o Nitro Coffee é feito? A primeiro etapa é fazer uma infusão de cold brew com nitrogênio, pode ser dentro de um barril usado para armazenar cerveja. Após algum tempo de infusão, ao extrair a bebida através de uma torneira com uma válvula pressurizada com pequenos orifícios, a medida que a pressão alta força o cold brew, cria-se um efeito cremoso, muito parecido com uma cerveja Guinnes.


Ver um copo de Nitro Coffee é um verdadeiro deleite.


Ainda existem pessoas que têm um pouco de receio para experimentarem cafés gelados. Já passei por várias situações onde, ao comentar que sempre tomo cold brew, logo depois de explicar que é um café servido frio, a pessoa me olha e faz aquela cara de lembrança da vez em que o café do trabalho já estava frio, e mesmo assim teve que beber porque não iria conseguir ficar sem café.





Assim que eu tomei o primeiro copo, pensei: o Nitro Coffee é perfeito para impulsionar a desmistificação de “beber café gelado” aqui no Brasil, simplesmente pela questão visual. Aposto que você, ou o seu amigo que tem esse preconceito, não conseguirá resistir a tentação de experimentar o tal do Nitro Coffee! E não é apenas uma bebida esteticamente chamativa, é boa demais!

ACEITA UMA RODADA?


fonte

http://drinkgoodcoffee.com.br/e-esse-tal-de-nitro-coffee/

quarta-feira, 22 de março de 2017

Café com Queijo


Harmonização de cafés especiais e queijos artesanais

Quem disse que aquele cafezinho tem que vir sempre acompanhado por um doce? Entenda por que a café combina tão bem com queijos. 

Parece regra: cafezinho tem que vir acompanhado de algum doce – pelo menosé assim que estamos acostumados. O café é natural da Etiópia e seu nome tem origem na palavra árabe “qahwah”, que significa vinho. Além do significado e da origem do grão, o que pouca gente sabe é que uma das formas de consumi-lo é com acompanhamentos umami, especialmente queijos.


Segundo Fernando Oliveira, proprietário da loja “A Queijaria”, em São Paulo, o brasileiro tem como costume preferir alimentos muito doces ou muito salgados, não explorando os demais gostos. Isso explica o hábito de tomar café sempre com um acompanhamento doce. “Eu acho que o café combina muito mais com alimentos umami e salgados. O queijo, por exemplo, tem o poder de ‘limpar’ o sabor do café e mostrar seu lado mais puro. Com essa combinação, dá pra sentir melhor a acidez e o amargor da bebida.”

Não há uma regra sobre qual queijo combina melhor porque tudo depende da safra do café e do tipo de queijo. Não há um consenso estabelecido, além de depender também do gosto de cada um.

Mas vale a pena fugir do óbvio e experimentar várias combinações. “Eu, que adoro acidez, por exemplo, aprovo a combinação entre café e queijo parmesão. Tem muito umami, e quando você está com todo aquele paladar aguçado do queijo, beber algo mais amargo, como o café, provoca uma sensação agradável”, afirma Fernando.

Melhor com umami

O especialista em cafés, Ton Rodrigues, sócio da True Coffee Brasil, tem opinião similar. “O café comum, que compramos em supermercado, tem em sua composição 96% de grãos. Como ele tem facilidade de impregnar-se de aromas, os grãos são fortemente torrados para tirar os sabores adquiridos desses 4% que não são café. Só que isso o deixa muito amargo, e para compensar pedimos uma combinação doce”.

Cafés de qualidade, no entanto, não têm no doce o parceiro ideal, garante o especialista. “A fruta da qual o café é extraído é adocicada. A própria bebida, feita com grãos artesanais e da maneira correta, também tem toques adocicados. Para sentir melhor esse gosto, a combinação ideal é com um acompanhamento umami ou salgado”, explica Rodrigues.

A mistura, em princípio, inusitada já começa a fazer sucesso em alguns estabelecimentos, como no restaurante italiano Vito, em São Paulo, onde o cafezinho é servido com um pedacinho de queijo. Os clientes estranham, mas acabam se acostumando. Que tal você experimentar também?

Workshop de harmonização de Café & Queijo

A Mercearia Mestre Queijeiro, em parceria com a True Coffee Brasil, realizará um #workshop de degustação de cafés especiais e queijos artesanais no dia 25 de março, no bairro de Pinheiros, em São Paulo.

No evento, serão degustados três cafés diferentes, preparados no método filtrado Hario V60 pelo barista Ton Rodrigues, e três tipos de queijos artesanais, selecionados pelo especialista Bruno Cabral que, ao lado de Ton, que orientarão a degustação.

A vagas são limitadas para até 10 participantes.
ServiçoOnde: Mercearia Mestre QueijeiroEndereço: Rua Simão Álvares, 112, PinheirosData: 25/03Hora: das 10 às 12h.Investimento: R$ 120,00

Link para inscrição: FoodPass

FONTE

http://drinkgoodcoffee.com.br/harmonizacao-de-cafes-especiais-e-queijos-artesanais/