Total de visualizações de página

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Cafeteira Napolitana


A cafeteira napolitana (em Nápoles chamada de “cuccumella”) produz um café de corpo leve e sabor intenso. Preparar um café com ela significa reproduzir um ritual doméstico lento e celebrado por muitos napolitanos ilustres.



Como preparar um café napolitano com perfeição:
Calcule de 5 a 6 gramas de café por xícara. A moagem do pó de café deverá ser média. Coloque o café no compartimento vazado e encaixe o filtro sobre ele;
Despeje a água na parte inferior da máquina, até o orifício. Insira o depósito de café junto com o filtro. Encaixe e enrosque as duas partes da máquina;
Leve ao fogo (com o bico virado para baixo) até ferver a água;
A água estará fervendo quando um fio de vapor sair do depósito. Retire do fogo e desencaixe as partes, girando as duas asas em sentidos opostos;
A água atravessará o filtro e o pó café ficará retido no depósito inferior. Esta operação leva alguns minutos. Sirva em seguida.
Não esqueça de lavar bem a cafeteira com água quente e detergente neutro, se necessário. Seque bem.



Nápoles e a napolitana
A cafeteira napolitana foi inventada em Nápoles, tendo sido baseada na primeira cafeteira de filtro feita em 1691 por Du Belloy. O inventor é desconhecido.
Em Nápoles, o café foi difundido ao final século XVIII, graças a um livro do gastrônomo Pietro Corrado, que trazia uma canção de tributo à bebida. O café era considerado a bebida da hospitalidade, da amizade e do bom presságio.



segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Café como inibidor de apetite


A relação entre tomar café e ter fomeEmbora a cafeína possa nos ajudar a controlar o apetite, ao tomar café descafeinado temos menos fome, por isso é mais benéfico incluir este último em nosso café da manhã.

Bilhões de pessoas no mundo todo tomam café diariamente para ter mais energia e disposição, e muitos acreditam que ele tem também o poder de inibir o apetite. Mas será que isso é verdade? Se sim, será que o motivo é a presença da cafeína?

Alguns estudos foram realizados para tentar responder a estas perguntas, mas ainda não há um consenso científico sobre a relação entre o café e a fome. No entanto, algumas descobertas nos fazem caminhar rumo a uma resposta definitiva.

O que se sabe é que o café é rico em antioxidantes, e tomá-lo regularmente reduz o risco de desenvolver diabetes, doenças mentais e vários tipos de câncer, mas será que ele também pode nos ajudar a perder peso?


A cafeína e a fome

Um estudo da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, sugeriu que a cafeína é capaz de mascarar a fome e a fadiga, já que age como um estimulante e aumenta os níveis de alegria e atenção.

Por outro lado, usar a cafeína para reduzir os efeitos da falta de sono e da fome pode ser desastroso a longo prazo. Além disso, o excesso de cafeína pode causar ataques de ansiedade, hipertensão, nervosismo e insônia, já que ela estimula o sistema nervoso central.

Com isso, o corpo responde aumentando a produção de cortisol, hormônio que faz com que o organismo queira aumentar os níveis de energia através do consumo de alimentos. Essa reação pode resultar em “fome emocional”, e fazer com que comamos inclusive mais do que deveríamos.

Além de tudo isso, a cafeína pode aumentar nossa vontade de comer por estimular a produção de insulina, alterando os níveis de açúcar no sangue e causando picos de fome.

Entendendo a sensação de fome


A fome e a saciedade são basicamente reguladas por três hormônios principais: a grelina, a leptina e o peptídeo YY (popularmente conhecido como PYY).

A grelina é conhecida como o hormônio da fome, e é secretada principalmente no estômago. Ela é responsável por estimular o apetite e, portanto, causar a fome, aumentando o consumo de alimentos.

A leptina, por sua vez, é o hormônio da saciedade. Sintetizada principalmente nas células de gordura, ela causa o efeito contrário da grelina no organismo, reduzindo o apetite e aumentando o gasto energético.

O PYY é liberado por células da mucosa intestinal. Ele inibe o apetite, agindo no hipotálamo para fazer com que nos sintamos saciados.


A influência do café nos hormônios do apetite

Um estudo recente chegou a conclusões interessantes a respeito da relação entre tomar café e sentir fome. Por um determinado período de tempo, indivíduos tomaram aleatoriamente café, café descafeinado, uma bebida com cafeína e outra sem nenhum efeito (placebo), em um ambiente controlado, e, posteriormente, foram medidos os níveis de grelina, leptina e PYY no organismo.

Em um segundo momento, os indivíduos ingeriram glicose, para identificar se ela influenciava o efeito do café no apetite. Os resultados encontrados foram interessantes:Não foram observadas alterações nos níveis de grelina e leptina.

Foram observados níveis significativamente menores de PYY e, consequentemente, de fome, nos momentos de ingestão do café descafeinado. Esta alteração foi maior em relação à observada com a ingestão das outras bebidas cafeinadas, incluindo o café.

Os níveis se mantiveram baixos por um total de três horas, mesmo após a ingestão de glicose.

Especula-se, portanto, que o café possua outros componentes além da cafeína que podem ajudar a inibir o apetite. Uma possibilidade é o ácido clorogênico ou outros hormônios de saciedade, mas outros estudos serão necessários para analisar a ação destas outras substâncias.

O café como inibidor de apetite



Podemos concluir que o café pode ter um efeito interessante na redução do apetite e da sensação de fome, mas é importante lembrar que não adianta exagerar na quantidade para comer menos, na tentativa de emagrecer.

O excesso de cafeína pode causar efeitos indesejados, aumentando a ansiedade e o nervosismo, que podem nos fazer comer ainda mais.

A melhor forma de perder peso e manter os níveis de apetite em patamares saudáveis é manter uma dieta balanceada e rica em nutrientes, além de praticar atividades físicas regularmente, beber bastante água diariamente e dormir bem para que o corpo se recupere.

Se você aprecia este hábito, tomar café não vai causar nenhum mal e pode até ajudar, oferecendo mais energia e tirando um pouco a fome, mas, a longo prazo, infelizmente não há mágica para perder peso.

O Café está entre seis alimentos que propiciam saciedade



FONTE

https://melhorcomsaude.com/relacao-entre-tomar-cafe-e-ter-fome/

sábado, 3 de dezembro de 2016

O que é a certificação Q-Grader?


Se você trabalha com degustação, produção ou até compra e venda de grãos, já pode ter ouvido o nome “Q-Grader”! Mas, afinal, o que ele significa? O termo pode ser traduzido como “Avaliador Q” (Q de “Qualidade) e se refere a uma certificação mundial dada a profissionais de classificação e degustação de cafés. Ela pertence ao “Q Grader System”, uma série de exames práticos desenvolvidos pelo Instituto de Qualidade do Café (CQI, na sigla em inglês), orgão que trabalha para uma maior qualidade cafeeira.

As 22 provas são aplicadas no profissional que busca esta certificação,realizadas em 5 dias e são baseadas nos métodos da SCAA (Associação de Cafés Especiais da América), associação internacional que foca cafés especiais e de qualidade. Os aprovados se certificam como avaliadores do grão, os “Q Graders”, podendo diferenciar e avaliar defeitos e pontos sensoriais em até 36 origens diferentes de grãos.

Diversos locais oferecem não só o treinamento necessário para as provas, mas também aplicam os exames para a certificação. É o caso, por exemplo, da Universidade Federal de Lavras, a UFLA. A faculdade fica em Minas Gerais, na cidade de Lavras, e possui cursos de aprofundam o conhecimento dos alunos nas características da bebida.

O CPC, Centro de Preparação de Café, na capital paulistana, também possui o programa em sua grade. Suas aulas permitem que o aluno aprenda sobre análise olfativa e gustativa, triangulação, torra, classificação e identificação de diversos aspectos do grão.

O Centro ainda possui o Curso de Introdução para Certificação Q-Grader que, segundo Cléia Junqueira, barista e coordenadora do CPC, “é um curso de preparação para a certificação”, diz. Essas aulas, dadas por Marcia Yoko e Edgard Kosh, podem aumentar as chances do alunos de serem aprovados nas provas futuras.



FONTE

http://www.mexidodeideias.com.br/industria/o-que-e-a-certificacao-q-grader/

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Grenat Cafés Especiais, Brasília




Os grãos cultivados no cerrado mineiro, na Lagoa Formosa, são torrados na loja com a consultoria da barista Isabela Raposeiras, que assina a carta de cafés. Nela, além de drinks e doces, há menu degustação da bebida com diferentes métodos de preparo. O espresso, por exemplo, pode ser de um blend encorpado ou, mais suave, tirado de grãos bourbon vermelho. O café de marcas como Orfeu, Braún e Fazenda Pessegueiro pode ser filtrado ou extraído das cafeteiras aeropress, francesa e italiana. Para fugir do óbvio, experimente o caviar ou o pudim de café. 



Grenat Cafés Especiais

A Grenat nasceu da paixão de Luciana Sturba por café. Com uma sensibilidade notável, Luciana idealizou seu negócio a partir do conhecimento adquirido nos cursos que fez na Escola de Barismo Isabela Raposeiras de São Paulo.



A pequena Grenat de 2008 nascia sob a consultoria de Isabela Raposeiras e já se tornava, em Brasília, uma extensão da Academia de Barismo.

Desenvolvendo-se como uma Boutique de Cafés Especiais, a Grenat proporcionou aos clientes a oportunidade de conhecer, apreciar e aprender sobre cafés pouco vistos até então no Distrito Federal. Estruturou-se para assessorar os clientes mais exigentes no consumo de produtos e acessórios de qualidade.




Naturalmente transformando-se em uma charmosa cafeteria, a Grenat ganhou destaque na cidade por realmente entregar o que promete: café de qualidade.

Com o sucesso em seus empreendimentos no setor e na conquista de muitos apreciadores, o espaço ficou pequeno e a cafeteria mudou-se para um espaço maior em 2010.




Essa nova etapa da Grenat contava com o esforço adicional da família de Luciana Sturba. Seu marido trazia consigo a experiência de mais de 15 anos empresariando com ética e honestidade. Sua filha trazia um pouco do que aprendia na faculdade de administração e a vontade de aprimorar a construção de uma marca consolidada. Todos empenhados na construção de uma empresa digna.

O resultado não podia ser outro. A nova cafeteria Grenat foi um sucesso.



Na busca da manutenção do alto padrão de qualidade, a Grenat inaugurou em janeiro de 2012 a Grenat Roastery, uma torrefação, que buscava em fazendas certificadas e auditadas, como a Fazenda Baú (Lagoa Formosa, MG), cafés de micro lotes especialíssimos, para torrar na máquina DIEDRICH IR-5, torrefadora de alta precisão.

A Fazenda Baú foi essencial para o desenvolvimento dos cafés Grenat. Constituída pela família Fukuda, a Fazenda Baú vem há mais de 30 anos aprimorando meticulosamente a produção de cafés especiais.



Essa parceria foi coroada com o selo de sustentabilidade Rainforest, o selo de qualidade de café especial da Utz, selo de café especial da BSCA (associação brasileira de cafés especiais) e Qr-Code, que mostra o caminho percorrido pelo café até chegar ao consumidor.

Sentindo a necessidade de uma torrefação maior para atender à demanda, a Fazenda Baú e a Grenat Cafés Especiais criaram a Grenat Roastery de Patos de Minas. Concluindo a realização de seus sonhos, as duas famílias Fukuda (Fazenda Baú) e Sturba (Grenat Cafés Especiais) juntaram o know-how de cultivo e produção com o de torra e preparo, para proporcionar aos apreciadores de café a máxima qualidade.



BLENDS E VARIEDADES

Opções de degustação para os mais variados paladares!

BLEND GRENAT
A harmonização de três variedades faz deste café uma bebida de corpo e acidez médias, com notas aromáticas de castanhas e finalização caramelada.

BOURBON VERMELHO
Proporciona uma experiência única. Com aroma de frutas vermelhas, uma acidez média alta e corpo intenso aveludado, seu sabor residual é agradável e duradouro.



CATUAÍ
Extremamente frutado, apresenta notas de abacaxi e amora, com acidez e corpo médios.

BOURBON VERMELHO AFRICAN BED
Apresenta aroma floral, com acidez e corpo médios. Um café muito delicado com finalização doce e aveludada.

MARAGOGIPE
Esta é uma rara variedade que produz frutas grandes. A torra deste café foi feita para resultar em corpo médio e acidez média suave, apresentando aroma frutado com especiarias.

MUNDO NOVO DOT
Equilibrado e doce, a denominação “DOT” significa “dry on three” ou “seco no pé”. Aroma de castanhas e acidez baixa, corpo médio aveludado.



TÍPICA
Este micro lote apresenta aroma de chocolate ao leite e mel, com corpo médio e acidez média alta. Você terá uma doce experiência.

OBATÃ AMARELO
Delicado café com aroma floral e acidez média. Extremamente limpo e equilibrado, com corpo suave e aveludado.



FONTE

http://www.grenatcafes.com.br/index.php

https://www.facebook.com/GrenatCafesEspeciais